Caraca, já se passou um mês desde o meu último post aqui no Planet Zouk. Infelizmente, estou fazendo vários trabalhos simultâneos (como jornalista e Dj) e vem sobrando pouco tempo para me dedicar ao blog. E nesse mês aconteceram diversas coisas bacanas, que vou procurar comentar nas próximas postagens.

Hoje, nosso assunto é o documentário “Zouk Candango” (acima), projeto de conclusão do curso de jornalismo de Lucas Pacheco Barreto, que mora em Brasília. Nos 12 minutos de documentário, o fã de zouk vai encontrar um precioso material, que resgata desde as origens do movimento no Distrito Federal, com os professores Israel Szerman (também Dj) e Patica Borges, até as influências vindas de várias partes do Brasil e decisivas para a composição do modo candango de se dançar.

Está tudo ali no vídeo: as aulas, o despertar da paixão (pelo dança, pela música e por um/a parceiro/a) e as festas, com destaque para as belas imagens de uma noite de ZoA (Zouk Open Air). O evento, que é semanal e gratuito (o ingresso é um sorriso, como dizem os organizadores Salah Naser e Priscilla Peredo), atrai desde os zoukeiros de carteirinha até curiosos e novatos. O local onde rolam as festas do ZoA é um cartão-postal de Brasília: a Esplanada, entre o Museu da República e a Biblioteca Nacional.

Para montar o documentário, Lucas entrevistou 12 pessoas. Todas as gravações foram feitas entre março e maio deste ano. “A ideia do documentário é mostrar como o zouk é praticado em Brasília”, disse ele ao blog. “Há muitos vídeos de zouk na internet, mas poucos aprofundam o tema. Como esse estilo tem crescido muito em Brasília nos últimos anos, achei que merecia um registro para as pessoas conhecerem melhor.” Está certíssimo e a gente agradece!

3 dicas de documentários sobre zouk para ver e rever

Zouk… Nosso Único Remédio: postado em 2007, é o mais antigo registro do tipo na internet e campeão de visualizações no YouTube. São mais de 21.000. Dirigido por Israel Szerman (DF), o vídeo explica as origens do zouk de uma forma dinâmica e concisa. É conteúdo obrigatório para quem quer conhecer melhor o ritmo e a dança praticada no Brasil.

Zouk: The Dance of Love (A Dança do Amor): dirigido pelo holandês Wilco de Groot, é uma superprodução que dura 89 minutos. Durante esse tempo, o diretor acompanha o dia-a-dia de quatro pessoas em diferentes cantos do mundo que têm uma coisa em comum: a paixão por dançar zouk. Infelizmente, esse documentário não está disponível na íntegra na internet. Para saber mais detalhes, leia aqui a resenha que fiz sobre esse trabalho há um ano e meio.

Zouk – O Ritmo que Encanta: dirigido por Bruna Zanlorenzi, Maria Carolina Bigoni e Nayla Inácio, estudantes de jornalismo em São Paulo, o documentário explica rapidamente a história do zouk no Brasil, dando ênfase especial para a transição lambada/zouk. Entre os entrevistados estão a professora Patricia Lira, seus filhos gêmeos Felipe e Rodrigo e o Dj Edu. Destaque para os relatos das alunas da Família Lira. Elas contam como se encantaram pela dança, que provocou mudanças profundas em suas vidas.